miércoles, abril 14, 2021

Presidente da FIA, Todt está em Indianápolis para assistir as 500 Milhas

Nestes tempos anormais, a visita de Jean Todt ao Indianapolis Motor Speedway é um dos aspectos que chamam a atenção durante o fim de semana das 500 Milhas de Indianápolis.

Como não há provas da Fórmula 1 neste fim de semana, o francês está no autódromo americano pela primeira vez desde que assumiu a presidência da FIA, em 2009. Durante este sábado (22), ele compareceu à reunião pública de pilotos e percorreu as instalações do autódromo, que foram renovadas no primeiro semestre do ano. As melhorias representaram os primeiros investimentos de Roger Penske desde sua aquisição do Speedway e da IndyCar, que promove o campeonato da Fórmula Indy.

O mais peculiar, talvez, é que a primeira Indy 500 de Todt não terá a pompa e o espetáculo que um evento desse tipo gera todos os anos. Pela primeira vez, devido à pandemia da Covid-19, as 500 Milhas de Indianápolis serão realizadas de portões fechados.

«É um sentimento diferente», disse Todt. “Primeiro porque se trata de uma prova em que se tem 300 mil espectadores e não ter espectadores é único. Mas sou privilegiado em vir aqui e encontrar meu amigo George Silbermann (presidente da ACCUS, representação da FIA nos EUA), Roger e toda a equipe da Indy. É absolutamente excepcional”.

“Eu disse a Roger: ‘Le Mans é uma cidade pequena que vive 24 horas, isso também se aplica a Indy.’ Indy é bem conhecida em todo o mundo pelo circuito e pela corrida estelar que é a Indy 500”.

Todt, diretor-geral da Ferrari na Fórmula 1 de 1994 a 2007, visitou o autódromo nas oito edições do GP dos EUA que aconteceram no circuito misto – atualmente parte do calendário da Fórmula Indy -, incluindo a corrida de 2005, lembrada porque apenas seis pilotos largaram devido a problemas de um dos fornecedores de pneus à época.

Mas em seu mandato como presidente da FIA, devido aos seus compromissos em circunstâncias normais, incluindo a realização de GPs de Fórmula 1 no mesmo fim de semana da Indy 500, ele nunca tinha podido comparecer ao evento. Até este ano.

A impressão geral dele sobre o autódromo é tão positiva quanto as que pilotos e donos de equipe manifestaram.

«Tenho muito respeito pelo que eles estão fazendo nestes tempos sem precedentes», disse Todt.

“É uma corrida que começou há mais de cem anos. Tive o privilégio de visitar o Museu, talvez tenham os melhores carros do planeta, o que é absolutamente fantástico, e também vi todo o trabalho do Roger Penske desde que adquiriu o autódromo em janeiro. Muito tem sido investido para tornar o circuito uma das melhores instalações do mundo”.

«Claro, estou muito animado com a corrida de amanhã, porque só a vi pela televisão.»

Todt também irá acompanhar o único piloto francês, como ele, no grid este ano: Simon Pagenaud, piloto do carro #22 da Penske, que é o atual vencedor da prova..

«Desejo a ele boa sorte. É um sujeito muito bom”, concluiu.

Texto original: Gustavo Rosso, direto de Indianápolis, para o IndyCarLatinos.com

Adaptaçao: Geferson Kern / colaborador Brasil do IndyCarLatinos.com

Latest Posts

La NTT INDYCAR SERIES llega a 2021 con impulso desafiante

La expectativa continúa aumentando para la apertura...

NTT INDYCAR SERIES amplía su cobertura en Latinoamérica para 2021

La NTT INDYCAR SERIES ha reforzado su...

Bourdais lidera día interrumpido por lluvia en Open Test de Indy 500

Sébastien Bourdais, de AJ Foyt Racing, fue...