martes, octubre 20, 2020

Especial Indy 500: A velocidade longeva de Mario Andretti

Faltam 21 dias para as 500 Milhas de Indianápolis. E na mítica prova do Indianapolis Motor Speedway, é um certo Mario Andretti o homem a ter feito pole positions com o maior intervalo de tempo: foram 21 anos que separaram a primeira e a última das três posições de honra obtidas pelo patriarca da família no automobilismo, em 1966 e 1987.

Quando comandou o grid pela primeira vez, o irmão gêmeo do também piloto Aldo havia acabado de se sagrar campeão da Indy pela primeira vez, com direito a um terceiro lugar na sua estreia nas 500 Milhas. Havia sido o vencedor da primeira prova em circuito misto da história da Indy, o Hoosier Grand Prix, em 65, no Indianapolis Raceway Park – atual Lucas Oil Raceway, o outro autódromo da cidade de Indianápolis. Se tornou, à época, o campeão de Indy mais jovem da história, com 25 anos de idade.

Na prova de 66, a de número 50 da história, Andretti abandonou após apenas 27 voltas – das quais liderou 16 -, com problemas mecânicos. O abandono precoce na prova vencida por Graham Hill contrastou com o desempenho na temporada: o ítalo-americano se sagraria bicampeão da Indy ao final do ano, com oito vitórias em 15 provas.

Em 67, Mario repetiu a pole – e os problemas após poucas voltas, que lhe custaram outro abandono. Seria vice-campeão daquela temporada, resultado que repetiria em 1968. Em 69, foi tri da Indy e conquistou sua primeira vitória em Indianápolis – a única dele e da família até os dias atuais. O caminho estava pavimentado para que ele voltasse à terra de onde sua família partiu: a Europa, onde não demoraria a fazer sucesso na Fórmula 1.

Em 87, já campeão mundial de Formula 1 e tetracampeão da Indy, Mario Andretti – que já dividia a pista com o filho Michael – conquistaria sua terceira e última pole no Speedway. O destino foi o mesmo das outras vezes: após liderar 170 das primeiras 177 voltas, acabou traído pelo equipamento. O que foi apenas parte do que ficou conhecido em Indianápolis como Andretti Curse (ou “Maldição Andretti”), uma sina de resultados contrastantes com os desempenhos dos pilotos da família que perdura até os dias atuais.

Texto: Geferson Kern / colaborador Brasil do IndyCarLatinos.com

Latest Posts