jueves, octubre 29, 2020

Especial Indy 500: Por que o grid de Indianapolis tem 33 carros?

De hoje até o dia 23 de agosto, a equipe Brasil do IndyCarLatinos.com apresenta histórias e curiosidades diários em contagem regressiva para a 104ª edição das 500 Milhas de Indianápolis. Uma forma para o fã da Fórmula Indy entrar no clima para a maior prova de automobilismo do planeta

Uma das tradições e razões pelas quais as 500 Milhas de Indianápolis são conhecidas é o tamanho de seu grid. Ano após ano, são 33 carros que alinham em 11 filas de três, o que cria um espetáculo visual único e aumenta a tensão e expectativa pela prova antes mesmo da largada. Mas de onde teria surgido esse número mágico de carros permitidos na pista?

A explicação é centenária: logo após a primeira edição da prova, em 1911, quando 40 carros participaram, a AAA (American Automobile Association, ou Associação Americana do Automóvel), que sancionava a competição à época, elaborou uma fórmula para limitar o tamanho do grid de acordo com as dimensões da pista.

A fórmula estabelecida determinava que, para haver uma distância segura entre todos os carros, seria preciso que a pista pudesse garantir que todos mantivessem distância de 400 pés entre si, o que no sistema métrico equivale a um carro a cada 121,29m, exatamente, o que limitou a participação dos carros em Indianápolis a 33 veículos (a pista possui 2,5 milhas de extensão, o equivalente a 4 km).

Entretanto, o presidente do Indianapolis Motor Speedway à época e fundador do autódromo, Carl G. Fisher, decidiu limitar ainda mais o grid entre as provas de 1912 e 1914 e permitiu que no máximo 30 carros largassem neste período. A fórmula só seria adotada em 1915, com exceções em 1928 (quando o grid não foi completado), de 1930 a 1932 (em que o limite foi expandido para 40 carros) e em 1933, quando a prova teve o grid recorde de 42 carros.

Desde 1934, portanto, a regra do limite de 33 máquinas no grid é adotada, com exceções em 1979 e 1997, em função de discussões sobre o regulamento em cada um destes anos. Em ambas as ocasiões, 35 compuseram o grid da centenária prova.

Texto: Geferson Kern / colaborador Brasil do IndyCarLatinos.com

Latest Posts

Ericsson renueva asociación con Chip Ganassi Racing para 2021 y más allá

Marcus Ericsson regresará al auto No. 8...

Honda liga tercer Campeonato de Fabricantes consecutivo

Para Honda Performance Development, la temporada 2020...