domingo, abril 11, 2021

Hinchcliffe lidera primeiro treino para a Indy 500 com dobradinha da Andretti e Alonso no Top-5

O canadense James Hinchcliffe terminou na frente no primeiro dia de treinos para a 104ª edição das 500 Milhas de Indianápolis, disputado nesta quarta-feira (12). Hinch, que neste ano não compete de forma integral na Fórmula Indy e disputa a Indy 500 pela Andretti, liderou a dobradinha do time chefiado por Michael Andretti, já que o filho do patrão, Marco Andretti, terminou o dia como o segundo mais rápido.

“O crédito vai com força para todos da equipe Andretti, que tem uma porção de carros rápidos”, elogiou o canadense ao final do dia. “Precisamos apenas trabalhar um pouco e ter um melhor equilíbrio em grandes grupos de carros, mas eu não poderia pedir mais para o primeiro dia”, avaliou. O treino de abertura da programação para a prova do próximo 23 contou com 32 dos 33 inscritos. Ben Hanley, da DragonSpeed, foi o único a não deixar a garagem ao longo do dia.

O top5 foi completado pelo atual líder do campeonato, Scott Dixon, seguido de outro piloto da Andretti, o americano Ryan-Hunter Reay. O último no grupo dos cinco mais rápidos foi ninguém menos do que Fernando Alonso, de volta a Indianápolis pela McLaren em busca da Tríplice Coroa, após a frustração de não conseguir se classificar na prova de 2019 – quando foi eliminado pelo americano Kyle Kaiser, da Juncos, que não disputa a prova neste ano.

Entre os brasileiros, Hélio Castroneves fechou o dia com o 10º tempo e foi o segundo melhor da Penske no treino, atrás somente do atual campeão Josef Newgarden, que terminou em sexto. Já Tony Kanaan colocou o carro #14 da Foyt logo atrás, em 11º. O baiano passou parte final do treino de seis horas e meia de duração focado no acerto do carro #41, de seu companheiro de equipe Dalton Kellet.

Perda de velocidade e desempenho fora do vácuo

A volta que deu a Hinchcliffe a liderança do treino foi de 40s0844, com média de 224,526 mph (361,262 km/h). O índice aponta uma redução ao primeiro dia de treinos de 2019, quando o piloto mais rápido na ocasião, o australiano Wil Power, fechou o dia com média horária de 229,745 mph (369,659 km/h). A queda nas velocidades pode ser atribuída ao aeroscreen, que adicionou 27 kg ao peso mínimo do carro, o que será compensado no treino chamado de Fast Friday, na sexta-feira (14), com a elevação da pressão de turbo de 1,3 para 1,5 bar.

No ranking das melhores voltas feitas sem o auxílio do vácuo, a Andretti também se destacou. Alexander Rossi, 18º na classificação geral do dia, foi o mais rápido sem vácuo, com 221,951 mph de média (357,120 km/h). O vencedor da prova em 2016 foi seguido, pela ordem, dos companheiros Hunter-Reay, Hinchcliffe, Colton Herta (apenas o 22º na geral) e de Jack Harvey, que compete pela equipe Meyer-Shank, time que recebe o suporte da Andretti Technologies, empresa pertencente à escuderia que alinhará seis carros na prova do próximo dia 23.

Nesta quinta-feira (13), os carros voltam à pista para o segundo dia de treinos, que acontecerá das 12h às 18h30min (horário de Brasília). Diferente do ocorrido no dia de abertura, quando a sessão foi dividida em três partes (para pilotos que competem integralmente, novatos e pilotos que precisavam de readaptação e a parte final com todos juntos), o oval de 2,5 milhas estará aberto ao longo de todo o tempo para todos os carros inscritos.

Latest Posts

Bourdais lidera día interrumpido por lluvia en Open Test de Indy 500

Sébastien Bourdais, de AJ Foyt Racing, fue...

Así podrás seguir la NTT INDYCAR SERIES en 2021

Una alineación sólida de socios de transmisión...

¡Conoce el auto de Juan Pablo Montoya para Indy 500 con McLaren!

Arrow McLaren SP presentó la decoración exterior...