miércoles, octubre 21, 2020

Rossi deixa começo frustrante para trás e aposta na virada em Elkhart Lake

É difícil que o começo da temporada pudesse ter trazido resultados piores para Alexander Rossi. Em duas provas, o último novato a vencer as 500 Milhas de Indianápolis, logo em sua 100ª edição, em 2016, não passou da 15ª posição, o que o relegou a um mero 23º lugar no campeonato, atrás até mesmo de pilotos que participaram de apenas uma das duas corridas até agora, como Ed Carpenter e Tony Kanaan. Para o vice-campeão de 2018, já está mais do que na hora de virar o jogo.

Na prova de abertura da Indy em 2020, no Texas, um problema eletrônico prejudicou Rossi antes mesmo da ordem de ligar os motores. Diante das rígidas diretrizes de distanciamento social usadas pela IndyCar para iniciar a temporada, após um atraso de dois meses e meio devido à pandemia da covid-19, os técnicos dos fabricantes de motor não puderam ficar ao lado dos carros antes da largada. Mas para que Rossi pudesse largar, o técnico de motores da Honda foi chamado ao carro para conectar o computador e reiniciar o sistema eletrônico do motor.

Tão logo o problema foi resolvido e Rossi conseguiu partir para a corrida, ele recebeu uma punição, pois uma pessoa não autorizada pelo regulamento havia mexido em seu carro. Desde então, a IndyCar mudou essa regra e passou a permitir um representante dos fabricantes de motores junto ao carro antes das provas. Na pista, Rossi chegou a perder duas voltas, mas se recuperou parcialmente e terminou 15º, uma volta atrás do vencedor da corrida, Scott Dixon.

No GP de Indianápolis, Rossi largou em 11º e, com um problema de pressão de combustível, abandonou a prova depois de 41 das 80 voltas. Os dois maus resultados fazem com que ele chegue para a rodada dupla de Elkhart Lake, neste fim de semana (11 e 12), com 84 pontos de desvantagem para Dixon, vencedor das duas provas e líder do campeonato. Com 12 de 14 provas previstas ainda pela frente, o piloto da Andretti quer retomar sua condição de um dos favoritos ao título. Para isso, está pronto para começar sua escalada já em Road America, onde venceu em 2019.

«Para ser sincero, acho que ninguém está realmente pensando no campeonato», afirmou Rossi. «Estamos apenas tentando fazer as coisas acontecerem. Foram dois fins de semana difíceis. Não estamos onde esperávamos em termos de ritmo, em geral. Mas se tivermos um fim de semana forte em Road America, podemos pelo menos voltar à briga”, disse. Para evitar problemas técnicos inesperados adicionais, a Andretti mudou tudo, incluindo o chassi Dallara que Rossi pilotará neste fim de semana.

O americano está confiante de que, com os treinos e testes limitados, a organização de sua equipe deve dar a ele uma vantagem para um fim de semana competitivo em Elkhart Lake. «É uma bênção que o próximo evento seja uma rodada dupla em uma das minhas pistas favoritas», disse Rossi. “É uma pista em que sempre fomos muito fortes no passado. Isso nos encoraja, mas estamos conscientes das mudanças nas condições e nos pneus. Temos uma boa base para começar», finalizou. Base que pode ser fundamental para Rossi iniciar uma recuperação que não pode mais ser adiada.

Latest Posts

Andretti, Foyt, Carpenter y McLaren: la lucha por $ 1 millón en la parte inferior de la parrilla

Texto: Geferson Kern/Colaborador de IndyCarLatinos.com Brasil

Andretti, Foyt, Carpenter e McLaren: a briga por US$ 1 milhão no fundo do pelotão

Texto: Geferson Kern/colaborador Brasil do IndyCarLatinos.com

Las matemáticas de la disputa por el título de IndyCar en St. Petersburg

Texto: Geferson Kern / colaborador Brasil de...

Dixon busca liderar campeonato «de principio a fin»

Texto: Bruce Martin para IndyCar.com