viernes, mayo 7, 2021

Volta do GP do Alabama marca abertura repleta de novidades da temporada 2021

Após um ano de ausência, a Fórmula Indy está de volta a um dos mais tradicionais palcos adicionados ao seu calendário neste século: o Barber Motorsports Park, que sedia neste domingo (18) o Grande Prêmio do Alabama. O retorno se dará de modo especial: o circuito localizado na cidade de Birmingham, a maior do estado americano homônimo, marca a abertura da temporada 2021 da categoria.

O autódromo idealizado pelo empresário George Barber esteve ausente do calendário em 2020, em função das implicações da pandemia da Covid-19. Até aqui, já foram realizadas 10 edições da prova no circuito de 3,8 km. A primeira delas, em 2010, foi vencida pelo brasileiro Hélio Castroneves, que volta à Indy neste ano para disputar seis provas pela equipe Meyer-Shank. A última prova, em 2019, teve pole e vitória do japonês Takuma Sato, atual vencedor das 500 Milhas de Indianápolis.

A abertura da temporada no circuito no sul dos EUA representa o início de uma temporada repleta de novidades. Será a primeira prova oficial, por exemplo, de dois pilotos que foram astros em outras categorias do automobilismo mundial: Romain Grosjean (com nove temporadas e 10 pódios na carreira na Fórmula 1) e Jimmie Johnson (maior campeão da Nascar, com sete títulos, ao lado de Richard Petty e Dale Earnhardt). Ambos já treinaram no Alabama e farão neste fim de semana sua primeira largada em um IndyCar.

Apesar da ampla experiência, ambos vão competir pelo título de estreante do ano com Scott McLaughlin, que venceu os últimos três títulos do Supercars, na Austrália. O neozelandês de 27 anos foi trazido da Oceania pela equipe Penske como nova esperança de vitórias do time mais vencedor da categoria. McLaughlin se juntará à esquadra de campeões formada por Josef Newgarden, Will Power e Simon Pagenaud, que permanecem no time para 2021.

Atual campeã, a Chip Ganassi verá Scott Dixon em busca de um sétimo título na carreira que o colocaria como maior campeão da Indy em todos os tempos, junto de A. J. Foyt. Para correr com sua maior estrela, o time manteve Marcus Ericsson (outro ex-F1) e contratou o espanhol Alex Palou para a vaga de Felix Rosenqvist. O quarto carro, além de Johnson nos circuitos mistos, terá Tony Kanaan, que adiou sua aposentadoria para defender o time nos ovais.

Já a Andretti reduziu sua operação de cinco para quatro carros. Alexander Rossi e Colton Herta, mais jovem vencedor da história da categoria, aos 18 anos, dividirão os boxes com Ryan Hunter-Reay e o efetivado James Hinchcliffe. Outra força na briga pelo título, a McLaren se reforçou com o sueco Rosenqvist e manteve Pato O’Ward, uma das grandes sensações do último ano, com uma pole, quatro pódios e um quarto lugar no campeonato.

Pato O’Ward, da McLaren, conquistou quatro pódios em 2020 e tentará colocar o time papaya na briga pelo título

Na Rahal, atual vencedora da Indy 500 com Takuma Sato, o japonês permanece junto de Graham Rahal, que vai tentar voltar a vencer após três anos de jejum. Quem também tenta encerrar a seca de vitórias é a Foyt. O time do Texas efetivou Dalton Kellett e trouxe de volta o tetracampeão Sébastien Bourdais para tentar quebrar um jejum que dura desde o GP de Long Beach de 2013, com Sato.

A Dale Coyne será outra casa de brasileiros em 2021. Se o francês Grosjean competirá somente nos mistos, sua vaga nos ovais será ocupada por Pietro Fittipaldi, neto do bicampeão da Indy 500 e campeão da CART em 1989, Emerson Fittipaldi. Será a volta à categoria de Pietro, que se mantém como piloto reserva da equipe Haas na Fórmula 1, após duas temporadas ausente. Seu companheiro será Ed Jones, outro que esteve de fora em 2020.

Outros times com revezamento de pilotos serão a Carpenter e a Carlin. No time chefiado por Ed Carpenter, o dono da equipe compete nos ovais em revezamento com Conor Daly em um carro, enquanto o outro será comandado em todas as provas pelo melhor novato de 2020, Rinus VeeKay. Já na Carlin, o ex-F1 Max Chilton se concentrará nos mistos e nas 500 Milhas de Indianápolis. O piloto para os ovais restantes ainda não foi anunciado.

Esta temporada também será a de maior envolvimento de Hélio Castroneves com a Indy desde 2017. Depois de três anos em que só competiu nas provas de Indianápolis, Helinho segue em busca do tetracampeonato na principal prova da temporada, além de marcar presença em outras cinco etapas. Seu companheiro na Meyer-Shank será o inglês Jack Harvey.

Todas essas novidades serão notadas no GP do Alabama, cuja programação começa neste sábado (17), com treinos livres às 12h e às 15h40, que podem ser acompanhados pelo site IndyCar.com pelo Live Timing. A classificação, às 18h55, será exibida pelo aplicativo Arena Indy, disponível para download grátis em sua loja de aplicativos preferida.

No domingo (18), o warm-up ocorre às 12h30, com acompanhamento em tempo real pelo site oficial da categoria. Já a largada para a prova de 90 voltas terá transmissão ao vivo a partir das 16h30 pela TV Cultura, na estreia da Fórmula Indy na emissora, que mostrará todas as 17 provas da temporada em rede de televisão aberta para o Brasil.

Latest Posts